WordPress WP Rest Api: conheça as vantagens da ferramenta!

WordPress WP Rest Api: conheça as vantagens da ferramenta!

Postado em: 11 de outubro de 2018
Compartilhe

Se você já acha o WordPress ótimo, saiba que ele ficou melhor ainda com a WP Rest Api, descubra!

Com tempo, o WordPress ganha ainda mais notoriedade na web. Para você ter ideia, hoje, aproximadamente 79% de todos os sites com gerenciador de conteúdo da internet utilizam o WordPress.

Realmente, não há como contestar que ele é uma ferramenta bem consolidada. Por ser um projeto com uma comunidade gigantesca e engajada, podemos sempre esperar um bom suporte e novidades melhores.

Foi assim que, em 2013, surgiu no Github o plugin Wp Rest Api, por iniciativa de Ryan McCue e Rachel Baker.

Este plugin permitia estender o seu site WordPress para uma Api (Application Programming Interface ou Interface de Programação de Aplicativos), trazendo várias possibilidades para o seu site, como:

  • Fornecer informações para outros sistemas;
  • Dados para softwares ERP’s (Enterprise Resource Planning ou Sistemas de Gestão Empresarial);
  • E até a opção de criar aplicativos para smartphones!

Dois anos depois, o WP Rest Api se tornou um só com o Core do WordPress, ou seja, foi promovido de plugin e incorporado ao código do CMS, tamanha a funcionalidade.

E se você roda um site com o WordPress em uma versão superior a 4.7 (o que eu espero, do fundo do coração, que sim), este recurso está disponível para ser utilizado.

Conheça o WordPress Rest Api

Se você ainda não conhece essa ferramenta, depois de chegar ao fim do texto, vá até a documentação para explorar tudo a respeito dele! Por enquanto, acompanhe:

O básico para trabalhar com WP Rest API

Antes de mais nada, se você quer começar a testar esta ferramenta do WordPress, você precisa conhecer os verbos do protocolo HTTP, que são HEAD, GET, POST, PUT, DELETE.

Não vamos nos aprofundar neste artigo, mas é de fundamental importância saber como manipulá-los ao trabalhar com API’s.

Agora, se prefere exemplificar um pouco, acesse seu site e digite seudominio.com/wp-json (substitua “seudominio.com” pelo seu site).

Você verá diversas informações sobre ele um formato estranho chamado json.

A partir disso, é possível acessar dados de qualquer plataforma que você quiser.

Como Usar o WP Rest Api

Para acessar conteúdos específicos, você precisa saber qual é a rota específica para o que deseja. Estas rotas padrões podem ser encontradas na documentação do WP Rest Api.

Vamos usar como exemplo uma listagem dos posts de um site. Para isso, devemos usar a rota /wp-json/wp/v2/posts.

Isso nos trará uma lista com 10 posts do seu site, e em cada post teremos todas as informações referentes a ele, como imagens, slug, titulo, url, id e etc.

Caso queira listar um post  específico, precisaremos usar o id para localizá-lo, montando a rota da seguinte maneira: /wp-json/wp/v2/posts/123.

Esta mesma lógica pode ser usada para listar páginas, categorias e post types. Como foi dito, você pode manipular todas as informações que quiser do seu site.

A Evolução do WordPress

O WordPress que um dia já foi dito ser uma plataforma apenas para blogs, foi ganhando espaço e expandindo cada vez mais suas possibilidades de uso.

Com a chegada do WP Rest API, novos caminhos podem ser trilhados. Afinal, já não estamos mais presos ao PHP!

Agora é possível desenvolver com qualquer linguagem de programação capaz de trabalhar com requisições HTTP.

Portanto, se você não gosta do PHP por qual motivo for, escolha sua linguagem e vá em frente!

Se ainda não conhecia a WP Rest Api e se interessou, corre para a documentação e se informe mais.

Faça testes e, quem sabe em breve seus projetos serão desenvolvidos de uma maneira diferente?! Experimente o WP Rest Api e deixe um comentário contando o que achou!

Até a próxima!

Desenvolvedor Front End, graduado em Sistemas de Informação. Gosto de games, filmes, séries e jogar poker online ou com amigos. Sou um cara tranquilo, prestativo e estou sempre disposto a aprender coisas novas. Nada como um bom Rock acompanhado de uma cerveja bem gelada e churras.

Compartilhe

Gostou do post? Comenta aí!