Como fazer meu site vender mais?

Como fazer meu site vender mais?

Depois de muito esforço, estudos e investimento, você finalmente coloca o seu site no ar. Mas aí, fica a dúvida: será que ele vai conseguir cumprir seu papel de vendedor? Caso não, você então se pergunta: como fazer meu site vender mais?

Não importa se o seu site é um e-commerce que trabalha diretamente com a venda do produto, ou um site institucional, cujo “produto” vendido é a imagem da sua empresa. Se ele não traz resultados positivos para você, não serve para nada.

A Realidade Atual do Comércio Eletrônico

Vamos analisar alguns pontos:

O trabalho desenvolvido em e-commerce no Brasil é um dos mais poderosos do mundo, com crescimento que supera a marca de 15% anual. Em compensação, o número de entrantes no mercado é alto, sendo que eles utilizam técnicas cada vez mais sofisticadas. Isto torna a briga pelas primeiras colocações nos buscadores um embate digno de gladiadores romanos.

Ou seja, a arte de atrair os usuários está cada vez mais complexa. Não basta só colocar um site na web, é preciso fazê-lo vender para você. Também não adianta ter o melhor produto, o menor preço ou as formas de pagamento mais convenientes. Isto ficou para trás! Você precisa ter uma oferta de produto mais atrativa, ou uma imagem, no caso de um site institucional.

Como Fazer Meu Site Vender Mais - E-commerce

Como Fazer uma Oferta de Produto Mais Atrativa

Não existe uma solução padrão para isto, nem mesmo uma resposta instantânea. Como fazer meu site vender mais é uma pergunta que é respondida diariamente, num processo de análise, de tomada de decisões baseadas em dados e nunca em achismos ou “chutes”.

Existem algumas ramificações do marketing digital que, ao serem trabalhadas de maneira mais efetiva, podem melhorar, e muito, as vendas de seu site. Sendo assim, a Cia Web Sites separou 8 dicas especiais para você aumentar vendas pela internet e superar as próprias expectativas!

8 Dicas para Aumentar suas Vendas na Internet

1) Conheça o seu Público

Este é o ponto central para se conseguir vender qualquer coisa:

  • Quem é seu público?
  • O que ele quer?
  • Quando ele quer?
  • Onde ele quer?
  • Como ele quer?
  • Quanto ele quer pagar?

Pode parecer balela, mas é incrível a quantidade de empresas que simplesmente ignora seu público na hora de criar um site ou confeccionar alguma campanha.

Uma grande vantagem que a internet nos dá é a precisão na análise de dados. Por exemplo, pelo Google Analytics (ferramenta gratuita de monitoramento de sites do Google), é possível levantar inúmeras informações úteis; só precisamos saber aplicá-las!

Identificando as Necessidades do seu Público

Conhecer o seu público não significa estritamente montar um público alvo (classe A, moradores da região norte de BH, com idades entre…). É entender todas as etapas do processo de compra de seu consumidor. Uma vez mapeado o seu comportamento, podemos identificar gargalos e oportunidades que podem ser aproveitadas em seu site. Podemos separar este processo em 3 etapas:

– Estado Antecedente

Estado que antecede o momento da compra. São situações que levam a pessoa a querer consumir o seu produto. Elas podem ser divididas em fatores situacionais, pelo contexto de uso, pela pressão do tempo, pelo humor, orientação, influenciadores, etc.

– Ambiente de Compra

Estratégias feitas no momento da venda para influenciar seu usuário a efetivar a compra. Algumas delas são: experiência de compra, estímulo no ponto de venda, interação na venda, etc.

– Processo Pós-vendas

São estratégias montadas na pós-venda para criar a fidelização do cliente. Podem ser criadas através da satisfação do consumidor, do descarte do produto, dos mercados alternativos, de friend sell, etc.

Ao definir todas as etapas deste processo de compra, você irá conseguir modelar seu site de acordo com o seu público, no momento de compra específico em que ele se encontra.

Além destas orientações sobre o seu público, damos ainda algumas dicas sobre O QUE NÃO FAZER em seu site. Há algumas ações que, caso você as adote, podem acabar prejudicando ao invés de ajudar na obtenção de bons resultados comerciais.

Como o seu Site Pode Acabar Indo Contra o seu Público

  • Um site de produtos direcionados para pessoas de terceira idade, que utiliza fontes pequenas, cores fortes e uma grande quantidade de botões, vídeos, imagens, etc.
  • Uma empresa com produtos focados num público com menor poder aquisitivo, feito com um layout muito sofisticado. O contrário também é muito prejudicial, ou seja: um site direcionado a públicos de classe A, com design extremamente simples e que não transparece a proposta de valor da marca.
  • Sites que oferecem serviços, mas não possuem os cases de sucesso, imagens de trabalhos realizados, da equipe, etc.

2) Aplique Técnicas de SEO

O SEO é o conjunto de estratégias e diretrizes implementadas em seu site para que ele suba de posições no rankeamento dos mecanismos de busca, como o Google, o Bing e o Yahoo.

Os mecanismos de busca são a principal porta de entrada na web para o seu negócio. Isto é, se você estiver bem posicionado neles, seu site contará com uma quantidade significativa de visitantes.

Como Fazer Meu Site Vender Mais - SEO

Esta parte necessita de uma análise mais técnica, mas existem algumas frentes com as quais você já pode ir trabalhando para obter melhores resultados. São elas:

Pesquisa de Palavra-chave

Ao fazer um estudo de palavras-chave relacionadas ao seu negócio, você consegue identificar, entre outras informações, termos que possuem menos concorrência, por exemplo.

Com estas palavras-chave, você poderá obter um resultado mais rápido e com menos esforço. Você pode conferir as palavras-chave através de ferramentas como o Google Adwords ou o SEMrush.

Conteúdo Relevante e Único

A criação de conteúdo é um dos pontos principais para se atrair, de forma mais natural, usuários que realmente estão interessados no seu negócio. Os textos não precisam ser somente sobre a sua empresa, mas sim sobre o seu segmento de mercado.

Como Fazer Meu Site Vender Mais - Conteúdo

Link Building

Os mecanismos de buscam enxergam o link building ou backlink como uma boa prática, e assim beneficiam a sua posição nos resultados de busca. O link building é a troca de links entre sites.

Se você tem, por exemplo, um site que vende cursos de redação, pode citar em seu conteúdo um curso de outra escola parceira, direcionando o seu público a este site através de seu link.

Para que o backlink seja bem feito, o contrário também deve acontecer, ou seja, os sites, de preferência, relacionados ao seu negócio devem também criar links em conteúdos apontando para a sua URL.

Estas são apenas algumas das inúmeras técnicas para se fazer o SEO. Caso você queira utilizar a estratégia em seu site, o ideal é que você se aprofunde mais no assunto ou fale com uma empresa especializada em SEO.

3) Realize a Conversão

A conversão vem logo após o SEO. Não adianta nada atrair muitos visitantes ao seu site se eles não efetuam a compra ou, no mínimo, deixam seus contatos para uma abordagem futura. Fazer um site focado em conversão é uma arte. Você tem que conseguir “ler” muito bem os sinais de seus usuários e entender como funciona a mente dos clientes.

Aqui, muita coisa pode ser feita através de testes A/B. Vamos ver algumas dicas mais simples, que você pode começar a implementar agora em seu site:

Cores dos Botões

Por incrível que pareça, o simples ato de trocar a cor do botão, muitas vezes, já influencia no aumento da taxa de conversão. A cor em si não importa muito; o mais importante é o contraste com o resto do seu site.

Por exemplo, o botão de compra, que é o mais importante precisa ser de uma cor que não tenha sido utilizada em nenhum outro lugar do site. Isto faz com que ele ganhe destaque.

Há cases em que apenas alterar a cor do botão resultou em um aumento de quase 20% na taxa de conversão da página.

Texto dos Botões

Aqui está outro ponto importante, e que pode gerar resultados positivos sem muito esforço!

Utilizar simples estratégias temporais de senso de urgência, como colocar na descrição da conversão a frase “Comece a Implementar Agora”, ou fazer chamadas na primeira pessoa, como “Quero Testar” ou “Quero Comprar”, já podem melhorar seu resultado de conversão. Esta é a conhecida técnica de Call to Action.

Saiba mais sobre o que é CTA.

É importante, ao fazer estas alterações, comparar os dados de antes e de depois. Geralmente, são necessárias algumas tentativas em vão, até que se consiga chegar em um resultado efetivamente positivo.

4) Melhore a Usabilidade do Seu Site

A usabilidade do seu site é extremamente importante para que você possa vender mais pela internet. Uma página de internet tem que ser fácil de se mexer, com as etapas muito bem delimitadas e expostas que indiquem facilmente o caminho que o usuário deve seguir.

Sites complexos, que colocam à disposição muitas opções para o usuário, e que o deixam na dúvida, simplesmente não vendem. Estudos mostram também que, se um site demora mais do que 3 segundos para carregar, a taxa de usuários que o abandonam é gigante.

Por isto, temos que tornar o processo de compras o mais simples e prazeroso possível, e não complexo e estressante.

Como Fazer Meu Site Vender Mais - Usabilidade

5) Faça Garantias

Apesar do grande crescimento do e-commerce e do fortalecimento do comércio virtual, muita gente ainda tem receio de fazer compras pela internet. Portanto, para aumentar a sua taxa de vendas, ofereça garantias do seu produto.

Assim, você estimula seus visitantes a confiarem em suas ofertas. E o melhor: você demonstra confiança no seu produto ou serviço, o que, em um meio tão concorrido como a internet, pode ser um diferencial e tanto! Você pode fazer isso de algumas maneiras, veja:

  • Você trabalha com preços? Aumente a agressividade de sua campanha e dê garantias de preço, cobrindo as ofertas dos concorrentes.
  • Seu produto é extremamente útil e as pessoas que o utilizam por alguns dias não conseguem mais viver sem? Ofereça, como garantia, alguns dias de experimentação grátis.
  • Seu serviço possui qualidade acima da média e a taxa de satisfação é altíssima? Dê a garantia do serviço. Se, no período de 30 dias, o usuário não gostar, você devolve o dinheiro.

6) Aumente as Vendas pelo Mobile

Neste ano de 2017, vivemos um “boom” de acessos à web através do celular. Hoje, não basta ter um site responsivo… é necessário fazer um site específico para otimizar a usabilidade no mobile.

No mundo, temos uma quantidade de acessos superior a 50% em browser. Mas, se focarmos somente em acessos através das redes sociais em dispositivos móveis, por exemplo, os números já chegam aos 75%.

Portanto, vale apena fazer uma análise detalhada do seu site utilizando o celular e simulando o processo de compras. Assim, você poderá identificar gargalos por onde seus usuários podem estar escapando.

Como Fazer Meu Site Vender Mais - Mobile

7) Dedique-se ao CRM (Customer Relationship Management)

O CRM é uma ferramenta poderosa, que reúne todos os dados de seus clientes, dando informações valiosas sobre os seus hábitos de compra.

Ok, mas como fazer meu site vender mais através deste recurso?

  • Você pode criar campanhas segmentadas para cada público, aumentando muito sua assertividade.
  • Pode também conhecer a região demográfica em que seu público está, para poder modelar suas ofertas.
  • Pode identificar padrões de compra para destacar um produto ou outro, e fazer ofertas combinadas.

8) Faça a Análise de Dados

Por fim, chegamos a um dos grandes trunfos do marketing digital, que é a análise dos dados!

Realize constantemente o levantamento de dados, avaliando o que está dando certo ou não, bem como o número de visitantes, a taxa de abandono de carrinho, as páginas mais visitadas, entre outros. Com isto, você irá conseguir constatar, em TEMPO REAL, tudo o que está acontecendo no seu site.

Assim, você terá melhores condições de tomar decisões mais acertadas e de forma proativa. É só “ler os sinais” que o mercado está de dando, antecipando ameaças e identificando oportunidades.

Conclusão

Para conseguir responder, de forma satisfatória, à pergunta “como fazer meu site vender mais” é necessário realizar um processo constante de trabalho e análises, que exige dedicação e esforço. Mas, como vimos, a internet oferece um mar de possibilidades, que compensa tal dedicação. Muitas vezes, os administradores de uma empresa perdem o foco frente a inúmeras ações que trazem baixos resultados. E é exatamente nesta hora que é preciso enxergar mais longe!

É importante ressaltar que nenhuma destas técnicas isoladas irá transformar o seu site da noite para o dia, mas sim o conjunto delas. Os resultados somados é que irão possibilitar o sucesso que você sempre quis. Quer vender mais pela internet?

Esperamos que o nosso artigo sobre como fazer meu site vender mais tenha te ajudado a melhorar as suas vendas pela internet. E, se mesmo assim ficaram dúvidas, deixe seu comentário aí pra gente! 😉

Fale com a Cia Web Sites

+55 (31) 3564-2776 | contato@ciawebsites.com.br | Fale com a Cia Web Sites

Artigos Relacionados

Gostou do nosso artigo sobre as como fazer meu site vender mais? Então, aproveite para ler também outros conteúdos relacionados:



João J.

João J.

Formado em publicidade e propaganda, trilhou caminho por diversas agências de publicidade até cair de cabeça no marketing digital. Hoje, cursando MBA em marketing, expandiu de vez sua visão mercadológica, sendo capaz de fazer uma análise completa do ambiente virtual das empresas. Especialista em Inbound Marketing e atleticano, gosta de assistir aos jogos tomando uma cerveja e aproveita o final de semana se dedicando ao lazer.

Comentários

Marketing Digital – Como Iniciar uma Estratégia Digital

Marketing Digital Ganhando Espaço

Desde a década de 1950, o marketing vem ganhando cada vez mais espaço nos orçamentos empresariais. Sendo assim, as instituições têm investido em profissionais específicos e na criação de departamentos. Isto tudo para conseguir gerir as estratégias corretas de marketing para o sucesso do empreendimento.

Uma das vertentes deste tipo de estratégia é o Marketing Digital. Hoje, ele representa uma das mais importantes formas de promoção de marcas, serviços e produtos através das ferramentas disponíveis na internet.

Mas, você sabe o que é marketing digital?

Conceito de Marketing Digital

Marketing digital é o conjunto de ações e estratégias no ambiente online, que convergem em um objetivo mercadológico pré-estabelecido. Seus principais diferenciais, em detrimento ao marketing tradicional, são a facilidade de mensurar os resultados e a escalabilidade. Isto faz com que esta estratégia seja bem mais flexível e barata do que o marketing tradicional.

A partir dos anos 1990, com a liberação da internet para o uso comercial, o marketing online vem crescendo substancialmente. Assim como a publicidade tradicional, ela é uma estratégia de alta importância. As suas principais funções são promover e lançar produtos, serviços e conceitos, bem como consolidar marcas ou empresas.

Atuar através da internet para alcançar seus objetivos de marketing é o que chamamos de ter presença digital.

Presença Digital

Com a crescente utilização da internet, possuir presença digital é algo fundamental nos dias atuais. Estar presente digitalmente é garantir que seus serviços, produtos e marca estejam disponíveis para seus clientes ou potenciais clientes durante 24 horas por dia, 7 dias por semana.

Só para se ter uma ideia da amplitude disto, uma pesquisa realizada em 2015 demonstrou que 58% da população brasileira acessa à internet. Uma outra pesquisa realizada pelo Google, também em 2015, constatou que 74% dos usuários brasileiros pesquisam produtos na internet através de seus smartphones.

Maneiras de se Fazer Marketing Digital

Hoje, há empresas especializadas em possibilitar que sua empresa tenha relevância na web. Elas são conhecidas como agências de marketing digital. Estas empresas atuam no desenvolvimento de estratégias para que você possa manter a sua presença digital e alcançar o seu público alvo através da internet.

Conheça agora as principais formas que as agências de marketing digital utilizam para fazer publicidade online.

Criação de Web Sites

Para fazer um bom plano de marketing digital, o primeiro passo é a criação de um site. Ele pode ser a porta de entrada para seus clientes em potencial.

Um bom site deve transmitir credibilidade, ser moderno e de fácil navegação. Além disto, ele deve possuir conteúdo de qualidade para atender às necessidades de informação do usuário que está interessado em sua empresa e nos serviços ou produtos que você oferece.

O seu site também deve ser responsivo, ou seja, se adaptar a qualquer tamanho de tela, para que a navegação não seja prejudicada. Criar um site responsivo é fundamental hoje em dia, se pensarmos que atualmente 89% dos usuários de internet utilizam seus smartphones para navegar na web.

Otimização de Sites (SEO)

Para se criar um bom site, além das características já citadas, ele deve estar visível aos usuários nos mecanismos de busca.

Para você entender melhor do que se trata, imagine a seguinte situação…

Quando um cliente não conhece uma empresa específica, ele faz uma pesquisa nos buscadores (Google, Bing, Yahoo, etc.) para atender ao que ele deseja. Esta busca é feita através de palavras-chaves, ou seja, termos aos quais ele acredita que o seu objetivo esteja relacionado.

Se ele quer, por exemplo, encontrar uma empresa que faça o site dele, mas não sabe qual empresa contratar, ele pesquisa pelo termo “criação de sites” no buscador. Entre as opções que surgem como resultado, ele escolhe uma ou algumas para clicar e conhecer mais sobre a empresa.

A grande questão aqui é: geralmente as pessoas só clicam nas primeiras opções que aparecem nos resultados. Portanto, para que seu site apareça nas primeiras posições e tenha maiores chances de ser clicado, é necessário que seja realizado o SEO (Search Engine Optimization). SEO é o trabalho de otimização do seu site, que tem como finalidade fazer com que ele seja melhor ranqueado pelos mecanismos de busca e conquiste as primeiras posições.

Lojas Virtuais

As compras online vêm crescendo ano após ano. Em 2016, este tipo de transação cresceu 11% e tem previsão de alta para 2017. Ter uma loja virtual é a possibilidade de ter sua empresa sempre aberta, para que o seu cliente possa visitá-la de onde ele estiver. Isto pode ser fundamental para o sucesso do seu negócio.

Redes Sociais

O crescimento das redes sociais tem se tornado assustador. Com isto, o investimento em marketing digital realizado através delas também cresceu na mesma proporção.

Em 2016, 32,5% do investimento em publicidade online foi destinado às redes sociais e banners. Este crescimento aconteceu, principalmente, devido à possibilidade da criação de anúncios segmentados. Isto resultou na otimização dos gastos com marketing digital e melhorou os resultados mercadológicos.

Conclusão

Como vimos, estar presente na web é algo imprescindível nos dias atuais. Quem não é visto na internet, não tem tanta credibilidade. Além disto, acaba ficando para traz em questão de alcance de público perante a concorrência já disponível online.

E se você quer conhecer mais sobre marketing digital e outros recursos de marketing, conte com a Cia Web Sites. Aqui, você tem a melhor equipe para fazer o planejamento e a execução da sua estratégia de marketing digital. A Cia Web Sites leva você e sua empresa ao mundo online.

Entre em contato e saiba o que tudo o podemos fazer por você!
Tel: (31) 3564-2776
E-mail: contato@ciawebsites.com.br



João J.

João J.

Formado em publicidade e propaganda, trilhou caminho por diversas agências de publicidade até cair de cabeça no marketing digital. Hoje, cursando MBA em marketing, expandiu de vez sua visão mercadológica, sendo capaz de fazer uma análise completa do ambiente virtual das empresas. Especialista em Inbound Marketing e atleticano, gosta de assistir aos jogos tomando uma cerveja e aproveita o final de semana se dedicando ao lazer.

Comentários

O que é CTA?

Se você tem um blog, site ou e-commerce, já deve ter ouvido falar muito sobre CTA. Mas, se ainda restaram dúvidas sobre o que é, para que serve e como utilizar, confira aqui mais detalhes sobre o assunto.

O que é CTA?

Significa “Call to Action” ou “Chamada para Ação”. É basicamente um link que leva o visitante do seu site a realizar uma determinada ação estipulada por você. Ou seja, com o Call to Action, você tem a possibilidade de guiar o usuário através das páginas do seu site, de forma que ele veja ou faça exatamente o que você planejou.

Para que serve?

O objetivo mais importante do Call to Action é o direcionamento dos leads às landing pages. Lá, eles acabam sendo “fisgados”, seja através de um link para compra ou preenchendo um formulário com informações valiosas para a sua equipe de vendas. As técnicas utilizadas nas landing pages para transformar leads em clientes são inúmeras, e vão até onde a sua criatividade e conhecimentos de inbound marketing permitir.

Saiba o que fazer para o seu site gerar mais leads e vender mais.

Quais os tipos de CTA?

Existem dois tipos principais, cada um com características e funções um pouco diversas. Conheça as principais diferenças entre eles:

CTA Primário

Leva o lead a realizar a ação mais óbvia, como por exemplo, a efetivação da compra de um produto pelo qual ele está buscando. Um exemplo clássico seria o botão “Comprar” ou “Adicionar ao carrinho” próximo ao produto que o usuário está visualizando. Podemos considerar que as chances de sucesso deste CTA são, geralmente, grandes. Afinal, se o usuário chegou até ali, é porque, possivelmente, já tem interesse prévio em adquirir o produto.

Confira aqui dicas para se destacar ao vender em um mercado on-line.

CTA Secundário

É o complemento do primário, pois leva o seu lead a navegar por outros conteúdos relacionados ao que ele buscava inicialmente. Com o Call to Action secundário, você consegue induzir o usuário a visualizar ou adquirir mais produto, serviços e conteúdos do seu site. A lógica seria: se uma pessoa busca por um termo, o natural é que ela também se interesse por outros que tenham relação com o primeiro.

Vamos supor que o usuário pesquise por “ração para gatos” e encontre o seu site. Já é de se imaginar que ele possa ter interesse por outros produtos relacionados a gatos. Sendo assim, uma boa estratégia de CTA secundário seria, colocar próximo ao produto principal, por exemplo, alguns links para produtos como “areia higiênica para gatos” ou “brinquedos para gatos”.

Uma das funções dele é otimizar a usabilidade do seu site, fazendo com que o usuário encontre mais rapidamente diversos conteúdos e produtos de uma só vez. Esta é uma ótima maneira de manter os visitantes por mais tempo em seu site, e a feliz consequência disto tudo acaba sendo o aumento das chances de conversão em seu site.

Como eu defino um CTA eficiente?

Para montar uma boa estratégia, é importante que você conheça muito bem as suas buyer personas. Tendo informações sobre como elas chegaram no seu site e o que elas esperam encontrar lá, fica mais fácil definir a próxima etapa para transformá-la efetivamente em seu cliente.

Utilizar chamadas claras e objetivas facilita muito a vida do usuário e faz com que ele tenha uma experiência mais agradável na navegação. Além disto, lembre-se que para obter sucesso é praticamente mandatório direcionar seu lead ao que ele realmente busca. Afinal, não há nada mais desagradável do que você clicar em um link e, de repente, surgir algo completamente diferente do que você esperava.

Veja alguns itens importantes para criar um bom Call to Action:

  • Cor

Cada cor tem sua importância e gera uma sensação no nosso processo cognitivo. Sabendo disto, devemos tomar bastante cuidado na escolha da cor do Call to Action. Analisando mais analiticamente, a cor do botão, por si só, não é tão importante quanto o contraste dela com as demais. Ou seja, o indicado é utilizar no CTA uma cor que ainda não exista no restante do layout do site. Isto irá criar um bom contraste, chamando a atenção do usuário.

  • Texto

Sempre escreva em primeira pessoa: “Quero testar”, “Quero comprar”, etc. Chamadas como “Teste aqui” e “Compre agora”, por exemplo, já não funcionam tão bem. O target deve sempre ter a impressão de que ele mesmo é quem está tomando a atitude. Ele deve sentir que não está sendo influenciado por nada e nem por ninguém, mesmo que isto não seja verdade.

Verbos são sempre melhores que adjetivos: “Saiba como vendemos 15.000 computadores” é melhor do que “Nossa empresa é a melhor e mais robusta do mercado ”.

Sempre utilize advérbios de tempo, como “agora”, para influenciar o imediatismo do clique.

  • Posicionamento

A posição do botão dentro do layout também influencia muito no sucesso ou não do CTA. O ideal é que ele esteja em todos estes locais: na primeira dobra, perto das ofertas e repetido muitas vezes ao longo do site.

Outras aplicações do Call to Action

Apesar de ser utilizado com mais frequência em vendas de produtos e serviços, o CTA também funciona muito bem para blogs e sites de conteúdo. Ele é um ótimo recurso se você quer, por exemplo, que seu leitor faça inscrição no seu feed, responda suas enquetes, participe de votações em seu site, etc.

Agora que você já sabe mais um pouco sobre as técnicas de Call to Action, é hora de colocar os novos conhecimentos em prática e se surpreender com os bons resultados, que certamente virão.



Lu Barbiere

Lu Barbiere

Publicitária por formação e redatora por vocação/coração, atua profissionalmente com textos há 7 anos. Hoje, seu trabalho é voltado para marketing de conteúdo e SEO, e busca, continuamente, atualizar-se sobre este mercado. Ama música, estudos, esportes (principalmente os radicais!), pets (principalmente os cats!), cachoeiras e filosofias de vida alternativas. Como uma boa descendente "di italiano" que é, costuma abrir mão de quase tudo em troca de um bom prato de macarrão.

Comentários

Landing pages basicamente são páginas online que tem como objetivo a captura dos dados de seus visitantes por meio de uma oferta. Essa captura de dados ocorre por meio de um formulário, onde o visitante deixa algumas informações para ter acesso a sua oferta. Os dados podem variar, já que dependem do seu objetivo, porém duas informações que não podem faltar são: nome e e-mail.

O que são Landing pages?

Landing pages basicamente são páginas online que tem como objetivo a captura dos dados de seus visitantes por meio de uma oferta. Essa captura de dados ocorre por meio de um formulário, onde o visitante deixa algumas informações para ter acesso a sua oferta. Os dados podem variar, já que dependem do seu objetivo, porém duas informações que não podem faltar são: nome e e-mail.

Uma vez que o visitante converte na landing page, ele se transforma em um lead, e aí começa todo processo de nutrição para que esse lead chegue ao final do processo de compra, e adquira o produto/serviço que sua empresa oferece.

Mas afinal, o que é um lead?

A definição de lead é muito importante para a estratégia de marketing digital. Lead é qualquer potencial consumidor que demonstrou algum tipo de interesse no seu produto/serviço. Vamos imaginar uma loja dentro de um shopping; leads seriam aqueles que pararam para olhar sua vitrine em meio à multidão que nem reparou na sua loja. Na internet, uma vez que o visitante faz qualquer ação, como entrar no seu site e baixar um e-book, assistir um webinar ou até mesmo visitar sua página de contatos, ele automaticamente se transforma em um lead.

E qual é a importância das landing pages?

As landing pages são o ponto de partida para se conseguir leads. Como exemplificamos, os leads são pessoas que pararam para ver sua vitrine, mas só isso não é o suficiente, é necessário fazer com que eles entrem na loja e concluam a compra.

Pense, se você é o dono do seu negócio, qual o seu principal objetivo? Se a resposta é ter bons resultados, uma landing page é essencial para aumentar as chances de sucesso do seu negócio, e a otimização entra para melhorar ainda mais as chances de bons resultados.

Se liga no cálculo! (Taxa de conversão de uma página = Número de conversões da página / Número de visitantes da página)

A taxa de conversão é uma métrica super importante para todo site, e se de um anúncio pago por exemplo, para cada 5 pessoas que clicam, você esteja conseguindo 1 para a conversão, a sua taxa de conversão é de 20%. Agora imagine que com uma página bem otimizada, você pode aumentar esse número de conversões em até 80%!  Lembrando que tudo depende do seu esforço em investir e trabalhar cada vez mais a sua landing page, ok?

Ao aumentar as suas conversões com landing pages otimizadas você pode reduzir o seu gasto com anúncios pagos em até 60% e aumentar as suas vendas em mais de 50%. Demais, né?

O que devo fazer para ter uma boa Landing Page?

Mais uma vez, tudo depende do seu objetivo com a Landing Page e com o seu tipo de público, para te ajudar, separamos algumas dicas para ter uma boa Landing Page:

Mantenha o fluxo de informações: se o visitante entrou na sua landing page, seja por anúncios ou por onde for, certamente é porque ele estava na procura de algo, e se a página não oferecer o que prometia, provavelmente ele irá embora e não voltará mais. Não fique dando voltas, seja claro e objetivo! Simplifique!

Otimize sua Landing Page para Mobile: uma landing page que não pode ser acessada pelo celular ou tablet, é quase ineficiente, já que a quantidade de usuários que entraram pelo celular tende a ser muito maior do que por desktop. 2017 né gente? Acessibilidade é tudo!

Não deixe de fazer os testes: O sucesso de uma landing page vai depender de muitos fatores, incluindo o público e o tipo de oferta que a página terá, por isso mesmo, os testes são fundamentais para verificar o que está funcionando e o que não está, para que assim seja possível mudar o que não estiver trazendo resultados e melhorar a estratégia ideal para a sua landing page.

 

Quer se aprofundar ainda mais nesse assunto?

LEIA NOSSO MATERIAL COMPLETO!



Toni Campos

Toni Campos

Co-Fundador da Cia Web Sites, trabalha com otimização de sites desde 2009. Apaixonado pelo que faz, dedicado e extremamente preocupado com a satisfação dos clientes. Louco por futebol (assiste até jogos da Série D), relaxa nos fins de semana tomando uma cervejinha, porque ninguém é de ferro.

Comentários

Buyers Personas no Marketing Digital

Se sua empresa está entrando nessa jornada de Inbound Marketing, com certeza você já ouviu falar de Buyer Persona. A persona é uma parte essencial na metodologia inbound, e é com ela que o marketing vai trabalhar para atrair seu público e transformá-los em clientes. Uma Buyer Persona não é simplesmente a descrição do comprador, porque apenas listar os resultados de uma pesquisa não é o suficiente para as orientações de marketing.

Parece bom? Certamente é uma coisa que a sua empresa gostaria de fazer? Claro que sim!

Mas, o que realmente são?

Aqui está um guia que a Cia Websites fez sobre Buyer Personas. Nele você vai aprender tudo que precisa para criar e implementar esse conceito inovador no seu negócio. 

Esses são alguns pontos que iremos explorar: 

  • O conceito de Buyer Persona.
  • Diferença entre público-alvo e Buyer Persona.
  • Como criar sua Buyer Persona.
  • Exemplo de perguntas para se chegar na Buyer Persona ideal.
  • Como aplicar a Buyer Persona a estratégia de sua empresa.

O conceito de buyer persona

Todos nós, até aqueles que não trabalham com marketing, sabemos que a maneira mais fácil de vender um produto/serviço é conhecendo exatamente o perfil de seu comprador. Sabendo o que ele quer, seus objetivos e aspirações, se torna muito mais fácil criar conteúdo para atraí-lo, e o trabalho de adaptação dos produtos e campanhas também fica bem mais simples.

Aí que está a sacada da Persona! Ela é a representação semi-fictícia do seu cliente ideal, onde se inclui não só questões demográficas, como cidade ou renda, mas também citações reais, hobbys e objetivos profissionais. Assim, a equipe de marketing pode segmentar a campanha, e não desperdiçar esforços com um público que não é o seu. 

Diferença entre Buyer persona e público-alvo

Público-alvo não é nem de perto, igual a Buyer Persona. Público-alvo é a descrição de forma genérica de quem pode se interessar pelo seu produto. Já a Buyer Persona é construída a partir de palavras reais de compradores reais, que dizem o que seus clientes potenciais estão fazendo e seus hábitos durante o dia.  E o mais importante, como ele pensa em resolver um problema que sua empresa resolve.

Um conceito muito mais amplo e pessoal que uma descrição unilateral, como é a do público-alvo. 

Veja no infográfico abaixo:

Nesse infográfico podemos ver de forma muito clara a diferença entre o público-alvo e Persona. Conhecendo os hábitos e problemas do seu público, seu esforço para criar conteúdo será bem menor!

Por exemplo, com base no público-alvo, você pode criar um e-book com o título “Os 10 carros que tem menor consumo de combustível fabricados no Brasil”, porém como saber se ele realmente é um conteúdo valioso para o seu público? Como saber se ele está sendo veiculado em uma mídia bem acessada pelos seus clientes?

Diferente da persona, que conhecendo de uma forma mais pessoal, você pode criar o conteúdo que ela precisa e quer ver, como por exemplo a produção de um vídeo para o Youtube “Como contratar um funcionário ideal” ou um post no Facebook “4 projetos para restaurar em sua garagem”.

Percebe a diferença?

Como fazer uma buyer persona? 

Então vamos lá, agora que descobrimos a importância da Buyer Persona na estratégia de marketing digital, chegou a hora de criá-la.

Mas por onde começar?

Se você já tem clientes, isso vai ajudá-lo! Mas não se precipite, a Buyer Persona nunca pode ser feita por meio de “achismos” ou “suposições”! Isso pode fazer todo seu planejamento de conteúdo ir por água abaixo!

A Buyer Persona é desenvolvida após uma série de pesquisas e entrevistas com seu público-alvo. Você tem que fazer um “mix” de clientes potenciais e clientes que você já possui no banco de dados. 

Aqui estão algumas estratégias práticas para você desenvolver sua persona: 

1-  Procure por padrões de comportamento nos seus clientes atuais, como por exemplo, por quais motivos eles compram seu produto ou até mesmo as redes sociais que eles acessam.

2- Crie formulários online para segmentar ainda mais sua Persona. Algumas ferramentas podem te ajudar nessa, como o Google Forms ou Landing Pages.

3- Sempre escute o feedback que sua equipe de vendas tem a te dar! Afinal, quem conhece seus clientes melhor que as pessoas que conversam com eles o dia inteiro? Pergunte quais são as características que os clientes ideais possuem em comum.

4- Faça você mesmo uma entrevista com clientes e prospects. Pergunte o que acham sobre seu produto e serviço. Você pode se surpreender com as respostas obtidas, quando deixamos de lado as suposições sobre o que ACHAMOS que nossos clientes pensam daquilo que oferecemos.

Se estiver difícil achar candidatos a responder, você pode criar algumas estratégias para facilitar e melhorar seu número de respostas:

  • Incentivos: Nem sempre você vai precisar de incentivos, pois terão vezes que os próprios clientes vão mostrar o interesse em falar com você. Mas um pequeno presente simbólico ou algum tipo de desconto pode incentivar as pessoas que não tem relação com você a responder as perguntas.
  • Deixe claro que não está tentando vender nada: Procure fazer com que as pessoas se sintam à vontade! Essa dica é especialmente importante para pessoas que não são seus clientes. Você tem que mostrar seu desejo em simplesmente aprender com eles, e não tentar tirar informações a fim de vender algo depois. Não deixe a entender que é uma oferta de produto!

Agora que você sabe para quem perguntar e como, chegou a hora de desenvolver as perguntas. 

Cada empresa deve desenvolver suas perguntas de acordo com seu segmento de atuação. Aqui vamos listar alguns exemplos de perguntas padrões para você adaptar ao seu questionário. É muito importante obter as respostas, mas também verifique o PORQUÊ delas, chegando assim ao conhecimento profundo e pessoal das opiniões das suas Personas. 

  • Informações Pessoais

 1- Dados demográficos:

Dados demográficos são ótimos indicativos para começar a dar uma cara mais pessoal a sua persona. São homens ou mulheres? São casados? Tem filhos? Qual é a renda mensal da família? Onde eles vivem? Quantos anos eles têm?

2- Educação

Qual o nível de escolaridade deles? Fizeram faculdade? Curso técnico?

 3- Trajetória profissional

Como eles chegaram ao cargo que ocupam hoje? Era isso que eles esperavam? É uma área semelhante à de seus pais? 

  • Empresa 

4- Qual empresa ele trabalha?

5- Qual o tamanho da empresa?

Quantos funcionários? É uma multinacional? Uma franquia?

  • Cargo 

6- Qual seu cargo? A quanto tempo nessa empresa?

7- A quem você se relata na sua empresa? Quem relata a você?

Pergunta muito importante se sua empresa é B2B. Ao tentar vender um produto/serviço, você precisa reconhecer dentro de outra empresa quem é o tomador de decisão, que tipo de campanha você vai fazer com cada uma das funções que você está trabalhando e como deseja atingi-las.

8- Como é medido seu trabalho?

Quais são as métricas responsáveis por avaliar seu trabalho? Quais são os números determinantes para saber se ele é bem-sucedido ou não? O quanto eles estão preocupados em “bater metas”?

9- Qual sua rotina?

Qual o horário que eles costumam do chegar trabalho? Que horas eles saem? O que fazem quando são mais produtivos? O que fazem quando chegam em casa? O que fazem para se divertir? Quais são seus programas de TV favoritos?

10- Quais são as habilidades e ferramentas necessárias para você desenvolver seu trabalho?

Quais são as habilidades que eles precisam para exercer o cargo deles? Onde eles as aprenderam? Quais ferramentas fazem parte do trabalho deles? Conhecendo as ferramentas que eles usam, você pode adaptar seu produto as necessidades da sua persona.

11- Qual a maior dificuldade que você enfrenta no seu trabalho?

Qual é a maior dificuldade que eles enfrentam? Essa é uma informação muito importante se você quer criar conteúdo realmente valiosos para sua persona, afinal, o que é melhor do que receber ajuda quando temos dificuldade em um ponto tão importante de nossas vidas como o trabalho?

12- Quais são os seus objetivos?

Quais são seus objetivos profissionais? O que você faz para alcançá-los? O que sua empresa pode fazer para ajudá-los?

  • Informações e conteúdos

13- Como você adquire novas informações para seu trabalho?

Se você está tentando oferecer conteúdo para suas personas, você precisa saber onde elas adquirem essas informações. Se elas preferem online ou pessoalmente, através de um jornal? Se a empresa que oferece ou ela busca por conta própria?

15- Quais são as redes sociais em que você está presente?

Informação muito importante quando se diz respeito ao marketing digital. Quais são as redes sociais em que você deve investir tempo e trabalho para chegar a sua persona?

Fique à vontade para usar qualquer uma dessas perguntas, ou retirá-las se você achar importante, como foi explicado são apenas alguns exemplos que devem ser aproveitados sempre em relação ao seu objetivo e o segmento da sua empresa.

E agora?

Agora é só estruturar sua Persona, descartar as informações que não forem importantes e distribuí-las para a sua equipe de marketing. É muito mais fácil trabalhar quando você sabe exatamente quem você quer atingir! Quando a pessoa ele tem nome, idade e hobbys bem definidos.

Veja esse exemplo de uma Buyer Persona criada para a Odontologia Rápida, para você se inspirar e tirar dúvidas sobre a estrutura! A Odontologia Rápida é uma empresa fictícia que vende franquias de clínicas odontológicas.

Esse foi um conteúdo que a Cia Websites fez especialmente para te ajudar e ajudar a sua empresa a criar uma Buyer Persona ideal para seu negócio. Aprendemos o quanto é importante segmentar sua mensagem para o público certo, como fazer as perguntas e para quem estamos perguntando! A Persona é um ponto fundamental na metodologia de Inbound Marketing, e criá-la de qualquer jeito pode fazer com que todo o seu esforço não forneça os resultados esperados. Portanto, se dedique e faça um trabalho bem feito, pois com certeza virão resultados e números extremamente positivos para a sua empresa! 

Se você gostou do conteúdo, ficou com alguma dúvida ou tem alguma sugestão, conte para a gente nos comentários!



João J.

João J.

Formado em publicidade e propaganda, trilhou caminho por diversas agências de publicidade até cair de cabeça no marketing digital. Hoje, cursando MBA em marketing, expandiu de vez sua visão mercadológica, sendo capaz de fazer uma análise completa do ambiente virtual das empresas. Especialista em Inbound Marketing e atleticano, gosta de assistir aos jogos tomando uma cerveja e aproveita o final de semana se dedicando ao lazer.

Comentários