Técnicas de SEO para sites – Como se destacar da concorrência nos resultados de buscas da internet

Destaque-se nos buscadores através das técnicas de SEO para sites

Em tempos de crescimento acelerado do marketing digital em nível mundial, as técnicas de SEO para sites têm sido utilizadas como importantes aliadas às estratégias de divulgação dos milhares de sites e blogs registrados a cada dia.

De acordo com reportagem do portal Globo.com, só no ano de 2016, foi identificado um crescimento superior a 30% nos negócios online, o que representa mais de 23 milhões de novos clientes. O crescimento de transações comerciais realizadas a partir de dispositivos móveis (celulares e tablets) também é um dado que chama a atenção.

No mês de junho, por exemplo, 23% das compras online foram feitas a partir de um smartphone ou similar. Estes são números que, certamente, farão com que qualquer empresa repense suas estratégias de marketing para se inserir ou se destacar nesta nova modalidade de negócio.

O que é SEO

A sigla SEO tornou-se conhecida dos webmasters a partir de 1997, um ano após o lançamento do Google, que é o site de buscas mais famoso do mundo. O termo SEO define técnicas utilizadas para otimizar sites perante os critérios de busca na internet.

No marketing convencional, a publicidade e a propaganda têm como objetivo divulgar as características do produto ou serviço, quase sempre através de recursos audiovisuais. E é exatamente o sucesso deste tipo de divulgação que faz com que o produto ou serviço anunciado se destaque em relação à concorrência.

Já no marketing digital, a dinâmica é totalmente diferente do convencional. Existem vários outros critérios que podem fazer com que seu site, blog, redes sociais ou e-mail marketing ganhem destaque. E é por esta razão que as técnicas de SEO para sites têm sido cada vez mais utilizadas.

Elas são capazes de trazer à luz alguns parâmetros específicos, além de indicadores e atributos. Estes, ao serem utilizados durante a criação do site, blog, etc. poderão dar mais visibilidade à presença da sua empresa na internet, em relação às demais.

Atributos Importantes das Técnicas de SEO para Sites

Conheça agora um pouco mais sobre alguns destes atributos importantes para o SEO:

Título

Conhecido como title tag, o título é considerado (de longe) o atributo de maior influência para as técnicas de SEO para sites, no que diz respeito ao posicionamento do site no ranking do Google. Isto se deve ao fato de que o algoritmo do buscador tem o propósito de destacar a relevância do tema digitado na caixa de busca com os conteúdos dos sites apresentados nos resultados. Assim, ele consegue oferecer ao usuário uma melhor experiência no processo de busca.

Para se otimizar a title tag, podem ser usados parâmetros importantes como:

  • Não ultrapassar o limite de 65 caracteres;
  • Estabelecer um padrão para os títulos;
  • Utilizar o nome da página em todas as title tags, porém, alterando-a de acordo com seu conteúdo;
  • Usar palavras-chaves que estejam dentro do contexto abordado e que façam sentido;
  • Repetir o título no conteúdo da página.

Link Building

Se o atributo anterior é considerado o mais importante, este é, sem dúvidas, o que exige mais cuidado e critério em sua elaboração. Em contrapartida, é o que traz mais resultados.

Elaborar um link eficiente é quase uma arte. Assim como o título, ele também é um responsável direto pelo posicionamento do site no ranking, destacando a relevância e a popularidade de um site. E, para que um link seja realmente eficiente, é necessário ter cuidado, não apenas com o link propriamente dito, mas também com fatores como a palavra-chave do texto âncora.

A qualidade e a quantidade são outras duas características necessárias para se obter um perfil funcional de link. Conheça mais sobre estes dois itens:

Qualidade dos Links

O nível de qualidade de um link pode ser medido através de vários fatores, sendo que o texto âncora é um dos principais. É ele quem define o assunto principal da página à qual o link se refere. Os melhores links são aqueles naturais, ou que soam de forma mais natural possível. Os mecanismos de busca possuem recursos para identificar os links que atingem métricas altas.

Quantidade de Links

Ter quantidade de links consiste em diversidade de tipos de domínio de links e de domínios que linkam para o site. O importante é combinar a quantidade de links com a diversidade de conteúdos, todos dentro de um mesmo contexto, ou seja, de conteúdos relacionados.

Search Console do Google

Anteriormente conhecido como Webmasters Tools, o Search Console, além de mudar de nome, recebeu vários outros recursos e opções de relatórios, como:

Search Appearance ou Aspecto de Pesquisa

Consiste em um grupo de relatórios que auxilia o usuário a obter marcações mais bem estruturadas a serem exibidas nos resultados das buscas. Além disto, oferece dicas sobre descrições e títulos mal escritos, indicando, com exatidão, a página onde o problema se encontra, para que o usuário possa realizar a correção.

Google Index ou Índice do Google

Dentre os relatórios que este recurso permite gerar, o mais pertinente oferece ao usuário a possibilidade de acompanhar, através de um gráfico, a quantidade de páginas do site que estiveram indexadas no Google no decorrer do tempo de registro.

Security Issues ou Problemas de Segurança

Este relatório tem o objetivo de manter o usuário informado sobre eventuais problemas com malwares ou similares. Além disto, o Google pode avisar o usuário sobre quaisquer tentativas de hacking.

Messages ou Mensagens

Através desta opção, o usuário pode receber várias mensagens. Elas podem ser notificações simples ou, ainda, mensagens de alertas sobre problemas encontrados pelo Google que podem comprometer a presença do site do usuário nos resultados de buscas.

Dashboard ou Painel

Apresenta relatório com informações relevantes do Search Console, além de gráficos que ajudam a analisar os principais erros de rastreamento, mensagens que ainda não foram lidas, sitemaps e Search Analytics, permitindo ao usuário identificar a eventual necessidade de tomada de ações corretivas para garantir a “boa saúde” de seu site.

Search Trafic

Fornece um relatório ao usuário com o número de vezes que o seu site foi exibido nas buscas, identificando o posicionamento médio, as palavras mais relevantes e os backlinks (link building) do site. Isto permite que sejam identificados quais são os “bons” e os “maus” links. Além disto, apresenta as eventuais penalizações que o site possa ter recebido, bem como algumas dicas para melhorar a visualização do site em dispositivos móveis.

Crawl ou Rastreamento

Oferece relatório com ações críticas e apontando os erros encontrados pelo Google durante a tentativa de acessar o site. Isto permite que o usuário possa corrigir tais erros. Ele poderá também fazer testes para verificar a forma como o Google recebe as informações do seu site, bem como enviar sitemaps, testar robots.txt e receber informações sobre o tempo de carregamento do site.

Utilizando estas técnicas de SEO para sites, você terá mais condições de seu site se destacar perante a concorrência.

Outros artigos da Cia Web Sites sobre assuntos relacionados:

Check List de SEO para a Otimização de Sites
Quatro estratégias eficazes de SEO para otimizar o seu blog de negócios
SEO: O que você precisa otimizar em seu site?



Toni Campos

Toni Campos

Co-Fundador da Cia Web Sites, trabalha com otimização de sites desde 2009. Apaixonado pelo que faz, dedicado e extremamente preocupado com a satisfação dos clientes. Louco por futebol (assiste até jogos da Série D), relaxa nos fins de semana tomando uma cervejinha, porque ninguém é de ferro.

Comentários

DNS: veja o significado e entenda como funciona!

DNS é a sigla que vem do inglês “Domain Name System” que quer dizer sistema de nomes de domínios, ou seja, uma espécie de sistema de tradução de endereços IP para nomes de domínios. O DNS basicamente é o que faz você conseguir digitar www.ciawebsites.com.br e localizar esse site, ao invés de ter que digitar um monte de números.

Ainda não entendeu? A gente explica!

Afinal, quais são as formas de acessar uma página na internet? O usuário tem duas opções de conseguir acessar um site na web, ou ele entra no site pelo nome de domínio ou pelo endereço IP dos servidores que hospedam essa página. O DNS te poupa o trabalho de ter que digitar a série inteira de números no navegador para encontrar a página que você deseja, ele simplesmente faz esse trabalho chato para você. Demais né?

E se eu digitar dois endereços iguais com br e sem br?

Simplesmente uma página irá te redirecionar para a outra. Isso porque o DNS não traduz dois domínios para o mesmo IP, pois o endereço de IP é único em cada servidor e todo domínio leva a um IP diferente do outro. Exatamente por esse motivo nunca encontramos dois sites diferentes com endereços URLS iguais, caso contrário, muitos endereços que não são iguais poderiam encaminhar os usuários para a mesma página.

Existe apenas um DNS?

Com o tamanho da internet, seria praticamente impossível guardar todos os pares de domínio – endereço IP em um lugar só, ou seja, um DNS só não suportaria tantos dados e nem seria confiável, pois se falhasse, a internet não funcionaria em nenhum lugar do mundo. Além disso, o tráfego ficaria mais lento e a atualização do banco de dados teria que ser frequente, sendo que nem todas as pessoas estariam perto desse DNS, resumindo, não funcionaria.

Então como funciona? Quem organiza isso tudo?

Existe uma entidade que regulamenta os IPs disponíveis para serem comercializados e alocados na lista de DNS, trata-se  zona raiz de DNS que  é a zona DNS de nível superior no espaço de nomes hierárquico do DNS ( Domain Name System ) da Internet .



Arthur

Arthur

Publicitário, designer, social media, apaixonado por novidades e curiosidades aleatórias. Viciado em literatura, signos, (des)construção social e doces, é bem tranquilo, aberto e prestativo. Edredom com Netflix é seu habitat natural.

Comentários

Limite na Franquia de Dados na Banda Larga Fixa

Provavelmente você deve estar ciente de uma das maiores reviravoltas nos planos de internet dos últimos tempos. Não? Onde você esteve nos últimos meses?? Essa notícia tem circulado por praticamente todas as redes sociais e jornais online, possuindo um compartilhamento massivo na rede social Facebook. Acredite… você deve ter visto.

Se você não viu ou não entrou muito em detalhes, segure firme seu mouse e leia um resumo do que está acontecendo.

Em fevereiro deste ano a Vivo informou que em 2017 começaria a implantar os limites de banda já usados nos seus planos de internet móvel também nos planos de internet fixa. Ou seja: os planos contratados para uso em ambientes domésticos e empresariais passariam a ter um sistema de franquia bem parecido com os adotados na internet móvel. Então, quando o limite da sua franquia for atingido, a velocidade da sua internet será reduzida drasticamente ou será encerrada até que um novo limite seja ativado (ou com adesões extras ou esperando o mês “virar” e o limite ser recarregado).

Não demorou muito e outras operadoras (Oi e Net/Claro) começaram a se movimentar e a dar declarações de que também entrariam nesse novo sistema de franquias para os planos de internet fixa. A Tim ainda não se posicionou sobre o assunto. O novo modelo foi regulamentado pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e já está previsto na legislação.

Mas… o que muda com essa nova regulamentação?

Bom, atualmente os planos oferecidos pelas operadoras contemplam apenas a velocidade oferecida aos usuários de planos de internet fixa. Você contrata um plano específico e tem direito a navegar de forma “ilimitada” utilizando aquela velocidade contemplada pelo plano aderido. Com essa nova regra as operadoras passarão a oferecer planos com limites de uso, podendo ser compatíveis ou não com a velocidade contratada.

Vamos explicar melhor: você contrata uma internet com velocidade de 10mps e tem direito a 100gb de uso. Esses gigabytes de uso limitados não contam apenas para downloads de arquivos, mas para vídeos online, jogos online, serviços de streaming, etc. Basicamente tudo o que você faz na internet usa um pouquinho (ou um poucão) desse limite. Por exemplo: o sistema de vídeos online Netflix gasta, em média, 3gb por hora de vídeo em HD. Um jogo para PS4 consome entre 15 e 50gb POR CAPÍTULO.

Você provavelmente deve estar questionando se isso pode ser feito por meios legais. E é aí que entra a “confusão”. Segundo a ANATEL esse tipo de proposta não fere a Lei Geral de Telecomunicações (9.472/97), permitindo que as operadoras delimitem o que vão ofertar em seus planos (e isso inclui os limites de tráfego de dados). Porém a Associação de Consumidores PROTESTE considera essa ação ilegal e move, desde maio de 2015, uma ação civil pública contra as operadoras de telefonia e internet móvel sobre o corte de serviços ao atingir o limite da franquia, enquanto o Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec) diz que não há argumentos técnicos e econômicos para que tal medida seja tomada, citando ainda que estas cláusulas ferem o Marco Civil de Internet (o artigo 7 prevê que o usuário só pode ser desconectado por atraso de conta e não por uma suposta limitação de franquia).

Diante de tanta confusão e revolta, foi criado um coletivo popular chamado Movimento Internet Sem Limites (MISL). Sua página no Facebook já ultrapassa as 180 mil curtidas e seu perfil no Twitter tem recebidos diversas citações e RTs por apoiadores da causa.

Junto a isso foi criado um abaixo assinado pela plataforma Avaaz.com que pretende reunir o maior número de assinaturas para pressionar as operadoras de telefonia e internet, além da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e o Ministério Público Federal. Você pode verificar e participar neste link: Abaixo Assinado Avaaz.

E você? O que acha dessa nova regulamentação?



Arthur

Arthur

Publicitário, designer, social media, apaixonado por novidades e curiosidades aleatórias. Viciado em literatura, signos, (des)construção social e doces, é bem tranquilo, aberto e prestativo. Edredom com Netflix é seu habitat natural.

Comentários