Page rank – O que é? Ele ainda é importante?

Profissionais e pessoas interessadas no mundo do SEO e no marketing digital certamente já ouviram falar em page rank. Esse termo diz respeito a um conceito bem importante da área.

No entanto, o Google passou por uma série de transformações. Será que o page rank acompanhou todas essas mudanças? É isso o que você confere nesse post! 

Saiba exatamente do que se trata o assunto e qual é a sua relevância nos dias de hoje para a ferramenta de busca mais usada no mundo.

O que é?

Page rank é uma métrica que foi utilizada pelo Google durante muito tempo como forma de avaliar a relevância e a autoridade de uma página em uma escala de 0 a 10. 

Essa era uma maneira de verificar se as páginas estavam construindo conteúdos de qualidade e uma das maneiras de medir isso era se o site recebia links de outros sites e também se ele fazia referências para outras páginas externas. 

Quando o page rank foi criado?

A estrutura de algoritmo conhecida como page rank foi desenvolvimento em 1995 (mais ou menos quando o próprio Google surgiu) por Larry Page e Sergey Brin na Universidade de Stanford nos Estados Unidos

Como já dissemos ainda, os sites e páginas eram avaliados em uma escala de 0 a 10. A  pontuação era exibida na própria Toolbar do Google. 

Hoje em dia essa ferramenta já não está mais disponível, mas é possível verificar esse score utilizando plataformas como a Moz. 

O page rank ainda é relevante para os meus resultados?

Bom, assim como tudo no mundo da internet, o Google também está em constante evolução e desde o seu surgimento já passou por inúmeras mudanças a fim de oferecer para os usuários os melhores resultados para suas buscas. 

Panda, Penguin, Google Bert, etc., foram todas alterações pensadas e desenvolvidas para que o Google se tornasse cada vez mais inteligente e esperto.

O page rank e a sua forma de verificar links costumava ser uma dos principais fatores para um bom posicionamento na ferramenta de busca, mas ao longo dos anos outros quesitos foram passando a ter mais relevância no ranqueamento. 

O Google passou a avaliar não apenas a quantidade de links que uma página contém e os que a mencionam, mas também a qualidade desses links. 

Tanto é que por muito tempo práticas geradoras de links, como linkfarm (fazenda de links) e PBN (Private Blog Networks), eram muito comuns. 

No entanto, a primeira produzia links muito pobres e sem nenhuma relevância, já a segunda geralmente é/era feita utilizando domínios antigos (e por esse motivo com boa autoridade) que já expiraram, mas adquiridos para voltarem ao mercado justamente com essa intenção. 

Ambas as práticas hoje em dia podem ser identificadas pelo Google e são passíveis de punição, ou seja, não vale a pena investir nesse tipo de estratégia de SEO, que inclusive são chamadas de black hat. 

A prática de link building agora precisa ser feita com muito mais estratégia, escolhendo de forma inteligente quais links serão inseridos nas suas páginas e a procedência daqueles que, por sua vez, linkam para seu site.  

Além disso, o conteúdo das páginas também é de suma importância. Ele precisa, de fato, sanar as dúvidas da pessoa que está pesquisando, oferecendo informações ricas e relevantes. 

E não pense apenas no volume de palavras, se preocupe com o valor que ele entregará ao usuário. Essa é a melhor forma de ganhar relevância na sua área e, consequentemente, conseguir mais links, pois seu site será visto como referência e ganhará autoridade. 

Atente-se também para a linkagem interna, uma excelente forma de incluir links para outras páginas do seu próprio site em suas páginas e ainda melhorar a navegabilidade do visitante, que poderá ter acesso a outros conteúdos que podem ser interessante para ele e que são relacionados. 

Concluindo

Podemos concluir que o page rank já não é uma métrica de SEO tão relevante assim nos dias de hoje e isso graças às constantes atualizações dos motores de busca na tentativa de oferecer cada vez mais os melhores resultados aos usuários. 

Muito mais que a quantidade de links que uma página recebe, é preciso se preocupar se eles realmente são úteis e se eles se encaixam no contexto do conteúdo que está sendo abordado, servindo como uma informação complementar, por exemplo, priorizando a experiência do leitor. 

Mas mesmo assim, é necessário acompanhar uma série de outras métricas para medir a eficácia de suas estratégias. Algumas delas são a taxa de rejeição (ou bounce rate), tráfego orgânico, taxa de conversão, taxa de cliques e outras. 

Esse foi o nosso post sobre page rank! Achou útil? Conte pra gente nos comentários abaixo! E para não perder nenhum conteúdo feito pelos especialista em otimização, acompanhe o nosso blog e as nossas redes sociais.

Até a próxima!



Mariana

Mariana

Jornalista que quase já foi advogada. Especialista em redação para web, memes, séries e pagode dos anos 90. Cada dia mais tatuada. Acredita que escrever também é terapia.

Comentários