Dicas para reduzir a taxa de rejeição de seu site

Você acompanha a taxa de rejeição de seu site? Pois é, essa é mais uma das métricas que os profissionais envolvidos com SEO devem ficar sempre de olho. E mais do que isso, é ainda necessário trabalhar para que essa taxa não seja muito alta. Mas nós podemos te dar uma ajudinha!

No post de hoje, nós explicamos o que esse termo significa, qual o seu impacto nas suas estratégias de SEO, por que ela é tão importante e ainda mais: damos várias dicas para reduzir a taxa de rejeição de seu site!

Continue a leitura para saber tudo!

O que é taxa de rejeição?

Bom, a taxa de rejeição – ou bounce rate – é o índice que mede o tempo em que as pessoas acessam um site através de uma página (que é a página de entrada) e logo o abandonam, sem nem mesmo chegar a realizar nenhuma ação, como clicar em um call to action ou migrar para outra página no mesmo site.

Pode ser que haja uma confusão com o termo taxa de saída, que por sua vez indica quantas vezes determinada página foi a última de um site em que o usuário esteve e depois finalizou sua visita ao site como um todo, mas são coisas diferentes. 

Por que é importante acompanhar essa taxa?

Explicando assim você pode até se perguntar por que medir essa taxa é tão importante. A taxa de rejeição é muito sintomática, uma taxa mais alta ou mais baixa pode indicar muitas coisas em relação às suas estratégias de marketing digital. 

Uma dessas coisas é o baixo engajamento dos usuários, pois significa que eles não estão interagindo com o conteúdo do site e nem acessando outras páginas linkadas. 

Para anúncios pagos, uma bounce rate alta é ainda mais preocupante, pois a cada clique é cobrado uma quantia financeira e se uma pessoa clica no anúncio, mas não desenvolve mais nenhuma ação depois disso, significa que foi dinheiro gasto atoa.

Para Neil Patel, um dos maiores gurus do SEO, uma taxa de rejeição muito alta pode ter a ver com a dificuldade em conseguir inscritos em newsletters, pouca conversão de leads e de clientes, entre outras coisas. 

Como calcular a taxa de rejeição

Segundo o próprio Google:

“O cálculo da taxa de rejeição é feito com a divisão das sessões de página única por todas as sessões. Ou seja, ela é a porcentagem de todas as sessões do seu site nas quais os usuários visualizaram somente uma página e acionaram apenas uma solicitação ao servidor do Google Analytics.”

A bounce rate não tem tanto a ver com o tempo que a pessoa passa no seu site ou em uma página, ela é calculada a partir do percentual de usuários que entram e saem em uma página, e não tomam nenhuma ação para partir para outras no mesmo domínio.

Você pode usar o Google Analytics para captar esses dados e medir a taxa de rejeição. Essa é uma ferramenta muito importante, essencial para avaliar o andamento de suas estratégias.

Qual taxa de rejeição é aceitável?

Isso vai depender de vários fatores, como o tipo de site, de conteúdo, o seu nicho, etc. Para a Quicksprout, a bounce rate média para cada um deles é:

  • Varejo – 20 a 40%
  • Landing pages simples – 70 a 90%
  • Portais (exemplo: G1) – 10 a 30%
  • Sites de serviço/FAQ – 10 a 30%
  • Venda de serviços (geração de leads) – 30 a 50%
  • Sites de conteúdo – 40 a 60%
  • Blogs – 70 a 98%

Por isso você deve ter cuidado ao analisar essa métrica e ser bem crítico (a) ao observá-la. 

Uma taxa de rejeição alta em páginas de blog, por exemplo, pode significar apenas que os leitores são pessoas que acompanham o seu blog. 

Então elas leem apenas os posts novos quando eles são publicados e logo fecham seu site uma vez que que colocaram a leitura em dia. 

aprenda-com-especialista

Como reduzir a taxa de rejeição de seu site

Se essa é uma métrica que te preocupa e que realmente possui um impacto nas suas estratégias de marketing e vendas, saiba que é possível reduzir a taxa de rejeição do seu site.

Leitura dinâmica

Essa dica tem muito a ver com a legibilidade dos conteúdos que você publica nas páginas que deseja diminuir a taxa de rejeição. Ele precisa ser amigável e sua disposição na página tem que ser atrativa.

E para isso é necessário investir na escaneabilidade. É claro que a qualidade do conteúdo é importante, mas se suas páginas contém blocos de textos muito extensos, por exemplo, isso pode afastar o usuário.

O mais indicado para a internet é estruturar o texto em tópicos e em parágrafos não muito grandes, dar destaque às ideias principais, e pensar na hierarquia das informações dividindo o texto em títulos e subtítulos, usar listas, etc.

Em conteúdos muito grandes também é conveniente incluir imagens, gráficos, vídeos, etc. Use esses recursos para “quebrar” o texto e deixá-lo mais fluído e menos cansativo. Confira os post do blog da Cia Web Sites e veja como estruturamos nossos textos. 

Evite pop ups

Essa dica vai no mesmo sentido da primeira sobre leitura dinâmica e legibilidade da página, pois é colocada em prática como sinal da sua preocupação com experiência do usuário. 

Evite os pop ups em suas páginas para reduzir a taxa de rejeição, aqueles cards que se abrem automaticamente.

Eles são sim boas ferramentas de conversão, no entanto o excesso é extremamente irritante para o usuário e faz com que muitas pessoas fechem as páginas sem realizar nenhuma outra ação. Use-os com e moderação sabedoria. 

Call to actions de respeito

A bounce rate mede apenas a quantidade de visitas que não renderam nenhuma clique a mais no seu site. Isso não quer dizer necessariamente que a pessoa não tenha gostado do conteúdo ou do seu site.

Se seu conteúdo já é qualificado, mas sua taxa de rejeição é alta e você não obtém muitas conversões, talvez seja necessário aumentar ou melhorar as suas Call to actions – ou CTAs. 

Isso porque elas são uma forma de conduzir as pessoas à outras atividades em novas páginas, como landing pages, seja para baixar um ebook ou para assinar uma newsletter por exemplo. 

Sites rápidos e adaptados

Um fato é, se suas páginas demoram muito para carregar, é bem provável que os usuários desistam de abri-las. Por isso seu site deve ser carregado rapidamente.

E não só em computadores, mas também em smartphones e outras telas menores. Hoje em dia não dá pra não investir em sites responsivos, que se adaptam a diferentes dispositivos. 

Afinal de contas, muitas pessoas acessam o Google e a internet como um todo através de seus celulares. Se seu conteúdo não é mobile friendly é bem capaz que suas taxas de rejeição sejam altas.

Atenção aos links internos e externos

Uma ótima estratégia para diminuir o bounce rate é incluir links internos nos conteúdos para assuntos relacionados ou que sejam mais aprofundados para que o usuário continue interagindo com seu site e acesse mais páginas.

Quanto aos links externos, sempre que for incluí-los tenha o cuidado de direcionar seus links para que eles abram em outras janelas. É importante que sua página continue aberta e o usuário não precise clicar no botão de retorno caso não tenha concluído a leitura.  

Chegamos ao fim do nosso post sobre bounce rate e das nossas dicas para reduzir a taxa de rejeição

Esperamos que você tenha gostado e que tenha aprendido bastante. Conte pra gente nos comentários o que achou e até a próxima!



Mariana

Mariana

Jornalista que quase já foi advogada. Especialista em redação para web, memes, séries e pagode dos anos 90. Cada dia mais tatuada. Acredita que escrever também é terapia.

Comentários