Entenda sobre a importância do neuromarketing em sua estratégia

O neuromarketing não é uma estratégia propriamente dita, mas um conceito abrangente que abarca desde a neurociência e a psicologia até a publicidade, o marketing, o branding e a cultura organizacional de uma empresa.

É de extremo interesse para as empresas e empresários poder utilizar essas frentes de conhecimento científico para compreender melhor o funcionamento da psicologia do cliente, o que o agrada, o que desagrada, como ele pode ser fidelizado, etc.

Além do mais, a relação entre o cérebro humano e os estímulos externos de uma propaganda é, em si mesma, uma questão encantadora, mesmo para quem não é da área. Inclusive, todos sofremos esses impactos, como empresário ou como cliente.

Graças a esse tipo de estudo e levantamento, novas estratégias comerciais têm surgido. Elas podem ir desde gatilhos mentais que algum vendedor já deve ter utilizado com você em uma venda presencial, até marketing olfativo, por exemplo.

Pois é. Você sabia que é possível induzi-lo a comprar mais quando você está na loja e sente um cheiro convidativo? Isso é ainda mais verdadeiro quando se fala no segmento de alimentação, e tal estratégia tem tudo a ver com o neuromarketing.

Então, se você quer compreender melhor sobre a importância desse conceito e como ele pode ajudá-lo em suas estratégias comerciais, siga até o final da leitura.

Como é que se dão as decisões humanas?

Só vale a pena estudar o lado comportamental das pessoas, porque sabemos que, sem sombra de dúvida, nem toda compra é baseada apenas em decisões racionais.

Se fosse assim, em vez do marketing bastaria cada produto vir com um laudo técnico ou formulário preenchido a respeito da proposta daquela solução. Mas todos nós sabemos que a realidade não é bem assim.

Nem precisamos falar em produtos de massa. Quando o assunto é um produto alternativo como ecobag de tecido, vários fatores podem determinar a decisão de compra (inclusive culturais e políticos), indo muito além de preços e prazos.

Por isso mesmo, nos últimos anos até experimentos de ressonância magnética têm sido feitos em pessoas quando elas desfrutam de um produto novo, como modo de compreender as relações antes, durante e depois da aquisição.

Mesmo que a maioria das empresas não possa fazer testes dessa grandeza, vários dos conhecimentos adquiridos podem ser aplicados por qualquer marca, independentemente do formato e mesmo do tamanho do negócio. Tal como os que seguem abaixo.

A famosa ‘Hipótese do marcador somático’

Como é possível deduzir do que dizemos até aqui, a grande contribuição do neuromarketing é confirmar que as tomadas de decisão não são, nem nunca foram, baseadas apenas na razão, mas sobretudo na emoção.

Um modo de aplicar essa expertise em pequenos negócios é atraindo amigos e familiares para a experiência daquele produto/serviço. 

Afinal, é bastante válido compreender qual o envolvimento emocional que sua marca gera nas pessoas.

Isso é tão importante para a área de confecção de calçados, que leva ao cliente um produto que pode incomodá-lo ou agradá-lo muito já nos primeiros minutos de uso, quanto para um serviço como conserto tv plasma.

De fato, o que faz um cliente voltar ou não a repetir uma experiência são fatores subjetivos, que podem dizer respeito ao atendimento e ao suporte em sentido bem sutil, como tons de voz, por exemplo.

António Damásio, um dos maiores estudiosos da área, trouxe-nos o conceito da “hipótese do marcador somático”, que é justamente um marcador que possa gerar algo somático (“físico”) no cliente, como um gatilho para fidelizá-lo.

A importância da persona do seu público

Outro ponto essencial que o neuromarketing conseguiu assentar de uma vez por todas é a questão da persona da marca e do público.

De fato, nenhuma marca consegue abraçar o mundo e propor uma solução que agrade a absolutamente todas as pessoas.

Mesmo se você pensar nas grandes multinacionais que dominam seus segmentos (a maior marca de refrigerantes, a de softwares, o maior mecanismo de busca, etc.), verá que tem gente que por qualquer razão não gosta delas.

O segredo que o neuromarketing indica é assegurar que sua marca represente em profundidade o seu perfil de clientes. Para tanto, responda perguntas como:

  • Onde meus clientes estão?
  • O que eles fazem durante o dia?
  • O que os agrada comercialmente?
  • O que os desagrada comercialmente?
  • No que eles acreditam afinal?
  • E daí em diante. 

Outra dica: uma gráfica que faz desde impressões de outdoor até carimbo para empresa pode criar várias personas, e em cada campanha ou peça publicitária levar em conta aquele perfil específico de comprador.

Com isso vemos como o neuromarketing pode ser relevante em qualquer estratégia de marketing e publicidade de uma marca que queira prosperar no atual mercado.

Esse texto foi originalmente desenvolvido pela equipe do blog Guia de Investimento, onde você pode encontrar centenas de conteúdos informativos sobre diversos segmentos.



Radação Cia Web Sites

Radação Cia Web Sites

Especialista em criar e otimizar sites há quase uma década. Eficiência em gerar resultados cada vez melhores, elevar o posicionamento do site e superar as expectativas dos clientes! 😉 Adora estudos, aprendizado, organização, dedicação, criatividade e "gente boa" - pessoas competentes que tornam tudo isso possível!

Comentários