Mapas mentais: O que são? Como fazer? Por que utilizar?

Janu França Por Janu França em 23 novembro, 2021 ~ 11 minutos de leitura
Mapas mentais: O que são? Como fazer? Por que utilizar?

Mapas mentais são ferramentas utilizadas para otimizar a memorização, planejamento e aprendizado. São ferramentas de gestão de informações, que apresentam conceitos e ideias através de representações visuais, de maneira simplificada e organizada. 

Quando falamos de mapa mental, logo de cara, pode parecer um conceito meio estranho. Contudo, esta é uma ferramenta bastante útil que pode ser utilizada em diversas situações e campos de aprendizado e planejamento. Além disso, ela é útil tanto no seu dia a dia, quanto no dia a dia da sua empresa.

Nesse sentido, se pararmos para pensar na quantidade de informação que consumimos e processamos todos os dias, não podemos nem mensurar não é mesmo? Então, como podemos organizar nossas ideias e assim melhorar nossa produtividade, foco e aprendizagem? E sim! A resposta está, acredite ou não, nos mapas mentais

Em um primeiro contato, você pode achar um sistema meio simples. Entretanto, esta é uma ferramenta que vêm se mostrando eficaz há bastante tempo. Não é à toa que já existem softwares exclusivos para o desenvolvimento de mapas mentais.

Está interessado no assunto? Então fique atento que temos mais informações. Neste artigo vamos abordar desde o conceito de mapas mentais até a forma de aplicar esse recursos no dia a dia da sua empresa.

Quer saber mais? Então, vamos lá! E boa leitura. 

O que são mapas mentais?

Para começar, podemos definir o mapa mental como um diagrama que parte de um ideia central que vai se ampliando e criando ramificações. Cada uma dessas ramificações será um desdobramento deste conceito central, como uma subdivisão daquele tema. 

Diante disso, podemos dizer que os mapas mentais são baseados em palavras-chave. Por esse motivo, um ponto importante é conseguir expor os conceitos de forma reduzida, utilizando uma ou poucas palavras. 

Quando falamos “diagrama”, como citamos acima, pode parecer algo complexo, que irá precisar de ferramentas e certos conhecimentos para desenvolver. Porém, este sistema pode ser feito à mão, com papel e caneta, assim como através de programas específicos ou aplicativos. 

Além disso, um ponto importante dos mapas mentais é o conceito visual, pois é através dos elementos e cores diferentes que as ideias ali presentes serão facilmente identificadas. 

Segundo Tony Buzan, conhecido como pai dos mapas mentais, esse sistema vai utilizar todas as habilidade do cérebro para interpretar as palavras, imagens, números e demais elementos presentes. Como resultado, ele irá sintetizar um conhecimento de forma mais clara e objetiva, através de unidades visuais. 

Para que serve? Quais as aplicações?

Agora que você já sabe o que é um mapa mental, vamos te apresentar as principais maneiras que este recurso pode ser utilizado. Na verdade, este sistema pode ser empregado em diversas funções, sendo aplicado desde a criação de estruturas de estudo, por exemplo, até na organização e estruturação de projetos. 

Diante disso, os mapas mentais, diferente do que muitos possam pensar, não são apenas um recurso visual. Na verdade, é um sistema ou ferramenta que serve para auxiliar na organização de ideias sobre um tema específico, que ativa e fortalece a memória.

Assim, tem como objetivo identificar os pontos principais e destravar informações e conhecimentos sobre determinado assunto. Além disso, também cria conexões que levam a um raciocínio mais eficiente. Consequentemente, facilitam a compreensão, memorização e também a gestão das informações.

Vamos a um exemplo! Suponhamos que você tenha uma reunião importante. Através de um mapa mental, você pode elencar os pontos mais importantes e criar uma relação entre eles.  Assim, você irá condensar de forma visual e prática todas as informações que precisa processar e apresentar neste momento. 

Com isso, podemos citar alguns exemplos de aplicação dos mapas mentais. Entre eles temos:

  • Brainstorming;
  • Tomar notas;
  • Planejamento;
  • Gerenciamento de reuniões;
  • Gestão de ideias;
  • Gestão do conhecimento;
  • Estruturar projetos;
  • Filtrar prioridades;
  • Roteirizar conteúdos e outros.

Como funcionam os mapas mentais?

O mapa mental começa do centro, onde deve ser colocado o tema principal e dele devem surgir as representações de ideias relacionadas e complementares. Ou seja, as ramificações. Elas podem ser representadas através de imagens, símbolos ou palavras.

Isto é, uma ideia central vai sendo desdobrada no papel da mesma maneira que acontece em sua mente, o que acaba por fortalecer as associações feitas pelo cérebro. Pense em uma árvore, onde temos o tronco e dele surgem os galhos. Nesse sistema é exatamente assim. O tronco é o tema principal e os galhos são os desdobramentos sobre o assunto. 

exemplo de mapas mentais

Qual sua importância?

O mapa mental é uma ferramenta que irá ajudar você a organizar as diversas informações que você tem e precisa elaborar sobre o mesmo assunto. Sem contar que elaborar este diagrama vai permitir que você visualize o raciocínio de forma mais clara, permitindo que seja possível se aprofundar em detalhes. Dessa forma, ele irá contribuir para o processo de aprendizagem, organização das ideias e vai destravar possíveis conhecimentos que estão “perdidos” na sua mente.

Além disso, adotar o uso dessa estratégia contribui bastante para o desenvolvimento do processo criativo, assim como possibilita o compartilhamento de ideias e até mesmo de cronogramas. Como consequência, os mapas mentais podem ser utilizados para aprender algo novo, em processos de gestão de projetos e acompanhamento de indicadores de produtividade, entre outros tipos de métricas.    

Benefícios do mapa mental? Por que utilizá-lo?

Com certeza você já passou por algum momento ou situação em que teve dificuldade de organizar suas ideias e as informações sobre determinado assunto. Nesse sentido, os mapas mentais funcionam como uma espécie de guia, que nos auxilia a estruturar e ordenar nossos pensamentos. 

Com base nisso, nós preparamos uma lista com os benefícios que a utilização dessa técnica pode trazer:

  • Auxilia no aprendizado, memorização e fixação de um conteúdo;
  • Ajuda a sistematizar dados e informações, ou seja, contribui para gestão de informações;
  • Colabora para a associação de informações, isto é, facilita a conexão entre ideias complementares;
  • Auxilia na organização do pensamento;
  • Excelente ferramenta para brainstorming; 
  • Ajuda a definir com nitidez a ideia principal;
  • Permite uma revisão de informações mais eficiente e rápida, assim como o acréscimo de conceitos a qualquer momento.

Além disso, esta é uma ferramenta que pode ser utilizada tanto nos estudos, como no trabalho e até mesmo na vida pessoal. Veja mais informações a seguir!

Quem precisa de um mapa mental?

Ok! Você já entendeu o que é, para que serve e qual importância de um mapa mental. Mas será que esse sistema é mesmo para você? Apesar de muitas pessoas associarem a técnica ao contexto acadêmico, na verdade, qualquer pessoa pode se beneficiar com o seu uso.

Inclusive, esse método pode ser útil para profissionais com atuações diversas e por todos aqueles que desejam acessar sua criatividade, melhorar a produtividade e mais. Por tanto, os mapas mentais são úteis em diferentes situações e se aplicam a:

  • Profissionais criativos: sejam eles design, publicitários, pessoas que atuam no marketing e inovação, já que a ferramenta auxilia no processo criativo;
  • Gestores: uma gestão eficiente está diretamente ligada à organização, e os mapas mentais auxiliam na organização de ideias;
  • Professores: podem ser muito úteis na preparação de aulas, assim como também para auxiliar na transmissão das informações de forma mais clara.
  • Todos aqueles que querem organizar suas ideias e tornar uma atividade ou sua rotina mais produtiva. 

Como fazer mapas mentais: passo a passo

Defina o tema principal 

O primeiro passo para iniciar seu mapa mental é definir o tema principal. Lembrando que ele deve ser definido com uma palavra-chave e que é a partir dele que irão surgir as informações relacionadas. Definiu o seu tema? Anote no meio da folha. 

Crie as primeiras ramificações

Pense no tema principal e deixe as associações que vêm ao seu cérebro fluírem. À medida que novas ideias, informações e conceitos foram surgindo, puxe linhas do seu título e vá anotando de forma sucinta, sempre com uma ou poucas palavras. Você também pode utilizar imagens e símbolos que façam sentido para você.

Esse primeiro momento é bem semelhante aquela conhecida brincadeira, em que você diz uma palavra e a pessoa completa com a primeira coisa que vem na mente. Como por exemplo: 

esquema de palavras relacionadas

Vá para as próximas ramificações

Continue deixando as associações fluírem, crie tópicos primários, secundários e assim por diante e quantos forem necessários. O objetivo aqui é representar visualmente a hierarquização das informações, facilitando a organização das ideias. Além disso, este processo vai permitir que você se aprofunde no assunto a cada ramificação. 

Utilize símbolos, cores e desenhos

Aqui precisamos ressaltar que um mapa mental precisa ser objetivo, pois isso facilita a compreensão e a memorização das informações destacadas. Por isso, evite frases longas e opte por palavras-chaves.

Um exemplo:

Ao invés de anotar: utilização de redes sociais na estratégia de inbound marketing Anote: redes sociais no inbound marketing  

Para facilitar ainda mais as associações e visualização da estrutura das ideias, adote o uso de cores, desenhos e símbolos. O sinal de + pode ser utilizado para unir dois conceitos. Dessa forma teríamos:

Inbound Marketing + Redes Sociais 

Ou seja, utilize tudo que puder para facilitar a memorização e a associação de ideias. 

Revisões e edições

Chegou ao fim do seu mapa mental? Então está na hora de revisar e editar as informações que julgar necessárias. Com essa última olhada você terá a oportunidade de deixar os conceitos ainda mais claros, simples e objetivos. 

Também será possível acrescentar ramificações e o melhor, sem prejudicar as demais informações, já que o diagrama não é linear. 

Erros na hora de criar o seu

Para que seu mapa mental seja ainda mais eficiente, é preciso não somente se atentar ao que fazer, mas também ao que não fazer. Assim, listamos aqui os principais erros que você precisa evitar na hora de criar o seu:

  • Não selecionar as palavras-chaves de forma estratégica: elas precisam fazer sentido quando você visualizar o mapa; 
  • Não adotar recursos visuais: eles são ferramentas importantes para a associação, já que o nosso cérebro assimila mais rapidamente imagens do que blocos de conteúdo. 
  • Colocar as informações de forma bagunçada: o ideal é começar do centro e seguindo para as bodas, pois simplesmente colocar as informações de forma desordenada, vai atrapalhar a visualização.
  • Escrever textos ao invés de tópicos: é preciso ser objetivo no mapa, como citamos anteriormente.
  • Utilizar o mapa mental de outra pessoa: isso não funciona, pois o mapa mental será um “retrato” de como aquele tema está armazenado na sua mente.

Ferramentas e aplicativos para criar mapas mentais 

Tá certo que, como falamos anteriormente, um mapa mental pode ser feito com papel e caneta. No entanto, já existem diversas ferramentas que auxiliam na utilização dessa técnica, trazendo recursos que tornam o método mais eficaz. Alguma delas são:

  • MindMup: possui uma versão gratuita e opções de planos que atendem pessoas de negócios; 
  • Creately: conta com  modelos de diagrama na versão gratuita, além de uma dinâmica inteligente com arrasta e solta; 
  • Coggle: online, gratuito e possibilita o compartilhamento dos mapas.

Esses são softwares específicos para a criação de mapas mentais. Porém, você pode utilizar outros aplicativos e plataformas para criar o seu, como o Canva, por exemplo. 

Como implementar os mapas mentais na sua empresa?

Parabéns por ter chegado até aqui e aprender sobre este método que pode contribuir e muito para sua produtividade e organização. Mas agora você deve estar se perguntando como implementar este recursos na sua empresa? 

Nós queremos sempre ajudar você. Para isso, preparamos uma lista com as principais aplicações dos mapas mentais em uma empresa. Dessa forma, você poderá, junto com a sua equipe, aperfeiçoar seu conhecimento e também melhorar os fluxos internos. Confira:

  • Para estimular a criatividade:  é comum a criatividade sumir as vezes e isso pode levar a travas e procrastinação. Por isso, é uma boa ideia adotar com a sua equipe a criação de mapas mentais para destravar ideias e até mesmo para roteirizar os passos para a conclusão de um projeto ou tarefa. 
  • Para registrar insights: a técnica é uma ótima ferramenta para registrar as ideias que surgem, sejam em uma reunião ou em qualquer outro momento.
  • Brainstorming: é excelente para registrar as ideias de todos de forma organizada e de que maneira que elas continuem fluindo.  
  • Organização: pode ser utilizada para deixar a rotina de trabalho visual e contribuir para a gestão. 
  • Auxilia nos projetos: com eles é possível montar um planejamento e criar cronogramas. 
  • Aumenta a produtividade: torna as atividades mais claras e, por tanto, sua execução mais simples. 

Agora que você já sabe como montar um mapa mental e conhece seus benefícios, está na hora de começar a utilizar esse método. E não deixe de conferir outros artigos completos como este em nosso blog e conhecer nossas soluções em marketing digital para sua empresa.